Já ouviu falar em Plano Diretor? Muito provavelmente você já se deparou com as exigências em áreas a serem construídas, como os recuos e afastamentos padrões, por exemplo. Isso faz parte do Plano Diretor, um conjunto de requisitos técnicos e legais que um imóvel deve possuir para se adequar aos padrões aceitos pelo município.

Discutir sobre o plano diretor de Torres nunca foi uma tarefa fácil. Só quem está envolvido diretamente com o mercado imobiliário da nossa cidade sabe o desafio que é, principalmente quando se trata de determinadas regiões da cidade, como as zonas 8 e 9 do plano.

A zona 8 fica à direita da Avenida Silva Jardim e a zona 9 à esquerda. Para quem desconhece este zoneamento, estas são as zonas que geram as maiores polêmicas por conta da especulação imobiliária.

Para se ter uma noção da realidade, a revisão do plano diretor de nossa cidade está a mais de 10 anos atrasada. Conforme informação do município, cerca de 80% deste plano já está concluído, faltando detalhes para ser encaminhado à câmara de vereadores para aprovação, tarefa fácil então né?! Nem tanto, a pressão da população para a não liberação de construções nestas zonas é muito grande.

A esta altura você deve estar lendo este artigo e pensando: “Lá vem mais um corretor de imóveis querendo uma Torres de concreto, com sombra a beira mar”.

Mas acredite, sempre fui contra contra o crescimento da construção civil desenfreado e sem limites na orla da praia. Acredito em argumentação! Em profissionais capacitados para planejar o futuro da nossa cidade, de forma que a construção civil e meio ambiente caminhem juntos.

Acredito no crescimento consciente e regrado da cidade de Torres, acredito que poderemos deixar um legado para as nossas futuras gerações.

O radicalismo não é a melhor solução para nenhum dos lados, ou você acredita que hoje nossa cidade não depende do mercado imobiliário?! Pare, pense, olhe em volta, quantos dos seus amigos dependem direta ou indiretamente do mercado imobiliário para sobreviver?  

Isso quer dizer que podemos sair por aí fazendo prédios desenfreadamente? Claro que não, mas há uma dependência e está muito evidente, o radicalismo para nenhuma das partes é a saída. Procure analisar, entender e compreender essa polêmica, não saia por aí proclamando ódio, rancor e contaminando pessoas por que você ouviu alguém falar que é ruim. Ter propriedade para falar de um assunto é fundamental para preservarmos o futuro do nosso paraíso, com crescimento sustentável, construção civil e meio ambiente lado a lado. Sim, é possível e eu acredito!